Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

Tudo se acomoda!

Aos poucos a vida se ajeita e as coisas vão entrando num novo ritmo. Em alguns momentos, tudo meio que parece perder o sentido. É complicado sentir doer uma saudade enorme e ao mesmo tempo saber que ela é necessaria... saber que o afastamento que causa essa dor é a garantia da felicidade lá no futuro. É tudo mto louco, sabe?! Mas eu confio e não tenho dúvidas que no final tudo vai dar certo!!!!
O peso da decisão de terminar o relacionamento não me pesa mais, não tenho dúvidas que estava vivendo algo que já não estava fazendo bem a nenhum de nós dois. E, apesar do amor inquestionável entre nós, as diferenças estavam falando mais alto. Sempre estará fadado ao fracasso um relacionamento onde não há sintonia nos sonhos, anseios e metas...
Durante a semana, tudo corre mais fácil, o trabalho me consome e não tenho muito tempo para pensar. Mas no final de semana, onde residia nossa rotina... a saudade consome, as lembranças torturam e as lágrimas são inevitáveis.
A terapia tem me ajudado …

Terapia... minha primeira vez!!!

Comecei a fazer terapia. Nunca pensei que chegaria esse dia... como tanta gente, pensava que isso era coisa pra louco!!!! Mas cheguei no consultório, e já gostei do clima. A terapeuta me chamou, entrei, e ela logo me tascou a pergunta: Porque você veio aqui? Porque resolveu fazer terapia? (porque não tenho nada melhor pra fazer com meu suado e esforçado dinheiro... ou pq estou enlouquecendo - pensei!)
Olhei bem pra ela, que olhava bem pra mim... mas com um olhar que não sei descrever... parecia que enxergava minha alma. Quando vi, já tinha dito tudo pra ela... meus pais, minha infância, meu casamento/divórcio, meu namoro chegando ao fim, minha eterna dificuldade em falar com as pessoas que mantenho alguma relação emocional. Ela me ouvia tão atentamente que me incomodava. Acho que ninguém jamais havia me ouvido assim antes. Ouvido. De verdade. Eventualmente repetia algo pontual e me questionava sobre aquilo.
No fim, ela fez mais algumas perguntas alegando não conseguir um elo entre algun…

Fracasso...

''Ontem chorei. Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voltou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei...''

(Caio Fernando Abreu)

Raspando digitais...

"Os corações se querem Os corpos se pedem As mentes não deixam
Quando algo se quebra Por mais precioso que seja Torna-se caco cortante
Chega de caco Chega de sangue Chega de talvez
Calem-se corpos Aquietem-se corações Escolhas sejam aceitas
Não há mais dúvidas Nem caminhos pelos quais decidir Agora é raspar dos dedos as digitais"
(Por Ana Barcellos)

~~~~~ // ~~~~~



Eu tava aqui tentando não pensar no seu sorriso
Mas me peguei sonhando com sua voz ao pé do ouvido
E te liguei
Me encontro tão ferida, mas te vejo ai também em carne viva
Será que não tem jeito?
Esse amor ainda nem nasceu direito, pra morrer assim

Se você pudesse ter me ouvido um pouco mais
Se você tivesse tido calma pra esperar
Se você quisesse poderia reverter
Se você crescesse e então se desculpasse
Mas se você soubesse o quanto eu ainda te amo
É que eu não posso mais

Não vou voltar atrás
Raspe dos teus dedos minhas digitais
Eu não vou voltar atrás
Apague da cabeça o meu nome, telefone e endereço
Eu não vou, eu não vou…